O que é dor crônica

Todas as pessoas já tiveram algum tipo de dor, seja ela frequente ou súbita. Na verdade, a dor é uma reação primordial do sistema nervoso que auxilia a alertá-lo para possíveis males. No momento em que ocorre uma lesão, os sinais de dor saem da região lesada até a medula espinhal e para o seu cérebro.
A dor no geral torna-se menos grave à proporção que a lesão vai se curando. No entanto, a dor crônica se diferencia da dor típica. Com dor crônica, seu corpo continua a emitir sinais de dor ao seu cérebro, mesmo depois de uma lesão se curar. Isto é capaz de persistir variadas semanas ou inclusive anos. A dor crônica é capaz de limitar sua locomoção e reduzir sua flexibilidade, força e resistência. Isso pode dificultar a prática de tarefas e atividades do dia a dia.
A dor crônica é determinada como a dor que persiste ao menos 12 semanas. A dor tem chance de ocasionar uma sensação de queimação e desconforto nas áreas afetadas. Pode ser constante ou inconstante, indo e vindo sem nenhum motivo aparente. Dor crônica pode vir a acontecer em quase todo lugar do seu corpo. A dor pode parecer diferente nas inúmeras áreas afetadas.

Tipos mais frequentes de dor crônica

Entre os tipos mais populares de dor crônica estão a de cabeça, dor pós-cirúrgica, dor pós-trauma, dor na área lombar, dor causada por câncer, dor de artrite, dor neurogênica (dor causada por danos na região nervosa), dor psicogênica (dor que não é gerada por enfermidade, lesão ou dano nervoso).

Motivos da dor crônica

dor-cronica A dor crônica geralmente é ocasionada por uma lesão inicial, como uma entorse muscular. Estima-se que a dor crônica se expande logo após que os nervos se danificam. O dano do nervo torna a dor mais intensa e resistente. Nesses episódios, o tratamento da lesão subjacente pode não resolver a dor crônica.
Em determinados casos, apesar disto, os seres humanos vivenciam dor crônica sem qualquer lesão antecedente. As causas exatas da dor crônica sem lesão não são bem compreendidas. A dor em algumas ocasiões pode resultar de uma condição de saúde subjacente, como:
Síndrome de fadiga crônica: identificada por cansaço intenso e prolongado que diversas vezes é acompanhado por dor;
Endometriose: um problema doloroso que ocorre quando o invólucro do útero cresce fora do útero;
Fibromialgia: dor espalhada nos ossos e músculos;
Enfermidade inflamatória intestinal: uma série de condições que gera infecção dolorosa e crônica no trato digestivo;
Cistite intersticial: uma doença crônica marcada pela compressão e dor na bexiga;
Disfunção da articulação temporomandibular: uma condição que gera um clique doído, estalando ou bloqueando a mandíbula.

Quem está em risco de ter dor crônica?

A dor crônica pode afetar pessoas de qualquer idade, entretanto é mais usual em adultos mais velhos. Sem contar a idade , outras causas que podem aumentar seu risco de desenvolver dor crônica incluem, como ter uma lesão, ter passado por uma cirurgia, ser do sexo feminino ou encontrar-se com sobrepeso.

Como é tratada a dor crônica?

tratamento-dor-cronica O principal intento do tratamento é reduzir a dor e aumentar a mobilidade. Isto auxilia o paciente a voltar para as atividades diárias sem incômodo.
A gravidade e a frequência da dor crônica são capazes de variar entre os humanos. Então, os médicos criam planejamentos de gerenciamento de dor adequados para cada pessoa. O planejamento de gerenciamento de dor irá depender de seus sintomas e outras situações de saúde subjacentes. Tratamentos médicos, remédios e estilo de vida, ou uma combinação desses métodos são capazes de ser empregados para tratar a dor crônica.

Abrandamento da dor crônica

Além dos remédios que têm que ser indicados por um médico, certos procedimentos, que inclusive necessitam ser feitos com a sugestão de um especialista da área médica, conseguem propiciar alívio da dor crônica. Determinados deles são a estimulação elétrica, o que reduz a dor ao emitir choques elétricos suaves para a musculatura; obstrução do nervo, que é uma injeção que impede os nervos de emitir sinais de dor ao seu cérebro; terapia chinesa com picada de agulhas, que consiste em picar relativamente sua pele com agulhas para aliviar a dor; cirurgia, que corrige machucados que são capazes de ter fechado inadequadamente e que são capazes de estar colaborando para a dor.

Opções de modo de vida para dor crônica

Além disto, diversas opções não convencionais, ligadas ao estilo de viver, estão acessíveis com o intuito de auxiliar a aliviar a dor crônica, como por exemplo fisioterapia, Tai Chi, yoga, artes e tratamento musical, terapia com animais de estimação, psicoterapia, massagens e meditação.

O que motiva essa dor?

A dor decorre de um sinal enviado de seus nervos ao seu cérebro. É capaz de prestar como um alerta, um recado – que você está pisoteando em um prego ou tocando num forno quente. Contudo, vez ou outra, os sinais permanecem sendo enviados ao cérebro e a dor persiste. É quando torna-se dor crônica.

Indícios que a dor virou dor crônica

Qualquer pessoa com dor frequente ou diária – mesmo leve – deve consultar um doutor. Isto serve se a dor interfere em suas atividades, se tornando limitador de vida ou a capacidade de realizar as tarefas. Leve em consideração que a dor crônica pode crescer em você. O que inicia como ocasional e incômodo pode, durante os anos, se tornar grave e debilitante.

Andar auxilia a aliviar a dor crônica

Caminhar mais é uma das melhores prescrições que possuímos para auxiliar a abrandar a dor crônica. A dor crônica possui a tendência de tornar as pessoas menos ativas e, em certas ocasiões, agrava o quadro. O exercício também solta endorfinas – os analgésicos naturais do corpo. Se empenhe para caminhar – ou fazer outras atividades físicas – cinco vezes toda semana, durante 30 minutos ao dia. Inicie vagarosamente e vá adicionando alguns minutos por semana.

Dor crônica e acupuntura

A terapia chinesa com picada de agulhas é um tratamento comum para alguma dor crônica. Por que as agulhas na pele auxiliam? Ninguém está efetivamente certo disso, entretanto a acupuntura é capaz de auxiliar a liberar analgésicos naturais no corpo ou obstruir sinais de dor produzidos pelos nervos.

Dor crônica e repouso

Não somente a dor é capaz de arruinar seu sono, mas não adormecer o suficiente pode fazer a dor crônica piorar no dia seguinte. É um ciclo vicioso. Caso a dor esteja complicando o sono, fale com o seu médico. Desenvolver ótimos hábitos de dormir – incluindo manter horário habitual para se deitar – inclusive pode colaborar.

Procure esquecer-se da dor crônica

Certas vezes pensamos em distração como uma coisa desagradável, que impede que você faça as coisas. Entretanto é capaz de ser realmente um tratamento caso você tenha dor crônica. Os apontamentos mostram que, na ocasião em que você está distraído – por um diálogo, ou por uma palavra cruzada, ou por um livro – as áreas do cérebro que processam a dor ficam menos ativas. Desligar sua mente da dor, realmente, ajuda – mesmo em um nível neurológico.

Alívio da dor crônica e alterações na dieta

O alimento poderia afetar sua dor? É possível. Pessoas com enxaqueca, muitas vezes, acreditam que alimentos próprios – como o vinho tinto e queijos – geram os ataques de dor. Carnes gordurosas ou leite podem piorar a dor da artrite inflamatória. Mantenha um diário de alimentos por muitas semanas para observar se algum alimento parece elevar sua dor. Logo em seguida, corte esses alimentos da sua dieta e perceba se seus sintomas melhoram.

Respirar fundo é capaz de ajudar a amenizar a dor crônica

Gaste um minuto para respirar profundamente e lentamente. Ponha sua mão em sua barriga e sinta o abdômen subir e descer. Após alguns minutos de respiração intensa, você pode sentir qualquer dor e tensão diminuírem. O bom em respirar intensamente como um tratamento contra a dor é que você pode fazer isso em todo lugar – no momento em que você está preso em um engarrafamento ou em sua mesa de trabalho.

Treinamento de força contra a dor crônica

Fortalecer os músculos – com pesos ou exercícios de intensidade – pode diminuir a dor com a mesma eficácia de várias drogas para dor nas costas e artrite. O enrijecimento muscular inclusive aprimora seu equilíbrio e flexibilidade. Os exercícios para a musculatura necessitam ser realizados, no mínimo, duas vezes semanalmente.

Uso de suplementos para dor crônica

Pergunte ao seu médico sobre suplementos para dor diária. Estudos mostram que alguns parecem auxiliar. O óleo de peixe, a glucosamina, o sulfato de condroitina são capazes de ajudar com as articulações rígidas e artrite.

Procure não ficar de cama por tempo prolongado

Nos velhos tempos, os indivíduos tratavam a dor com repouso. Agora, os médicos afirmam que, à medida que um pequeno repouso é autorizado depois de uma nova lesão – como uma torção de tornozelo -, este descanso não irá ajudar com dor crônica. Deitar no sofá por um bom tempo irá enfraquecer os músculos e pode agravar a dor. Ao invés disto, procure manter-se ativo.

Deixe uma resposta